Prefeitura de Lindoeste investiga irregularidades no orçamento de 2018

Há indícios de que as notas fiscais tenham sido clonadas

No dia 8 de Julho foi publicado em diário oficial do Município de Lindoeste um decreto determinando a abertura de uma Tomada de Contas Especial para analisar a aplicação recursos com possível dano ao erário público. A investigação é para apurar apontamentos feitos pelo departamento de contabilidade e finanças do município. O setor teria encontrado indícios de irregularidades no fechamento das contas do exercício de 2018. 

Segundo o Prefeito de Lindoeste possivelmente notas fiscais duplicadas foram confeccionadas e pagas pelo município. Ele não quis dar muitos detalhes sobre o assunto e aguarda a conclusão do trabalho da comissão para encaminhar o caso ao ministério público. 

A comissão é formada por dois servidores efeitos da Prefeitura de Lindoeste sendo uma analista de processos e uma fiscal fazendário. Marcelo Forlin, Secretário Municipal de Administração é o terceiro membro. As informações são de que notas fiscais eletrônicas emitidas em nome de uma empresa que presta serviços de saúde ao Hospital Municipal teria recebido R$ 47 mil a mais do município em três notas de R$ 10 mil cada é uma de R$ 17 mil. Além disso um cheque de R$ 10 mil também pode ter sido falsificado. Zezinho não confirma os valores e garante que não teve acesso aos documentos. 

A denúncia leva a crer que um esquema de clonagem de notas estaria acontecendo na Secretaria de Saúde, envolvendo o nome de um médico que presta serviços há muitos anos no município. Um profissional respeitado na cidade que também estaria fazendo um levantamento da situação para acionar o Ministério Público de Cascavel. Logo que surgiu a denúncia a Secretaria de Saúde de Lindoeste, Alessandra, pediu exoneração do cargo alegando motivos pessoais. O prefeito não confirma se ela tem alguma ligação com o caso e afirma que só conversou informalmente com ela sobre o assunto. 

Também procuramos o medido para falar da denúncia. Ele pode ter sido vítima de um possível esquema, mas só pretende falar quando o advogado concluir a análise do processo. De acordo com o Decreto baixado pelo executivo a Comissão Interna vai ter um prazo de 60 dias para concluir a investigação. A tomada de contas vai tramitar em sigilo respeitando o amplo direito ao contraditório das partes envolvidas. Na cidade as atenções estão voltadas para essa denúncia e os moradores cobram uma resposta o mais breve possível.

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Rádio SAN FM, não reflete a opinião deste Portal.