Assistente de fiscalização da Adapar de Capitão fala sobre o reconhecimento do Paraná livre da febre aftosa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou na terça-feira (11) que o Paraná a partir do dia 1º de setembro será reconhecido como zona livre de aftosa sem vacinação.

AEN-PR
Divulgação (Foto: AEN-PR)

Um dos momentos mais importantes para o setor da pecuária do Paraná finalmente se tornou realidade. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou na terça-feira (11) que o Paraná a partir do dia 1º de setembro será reconhecido como zona livre de aftosa sem vacinação.

A Instrução Normativa 52, reconhece o Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação. Assinada pela ministra Tereza Cristina, a medida inclui também Acre, Rio Grande do Sul, Rondônia e regiões do Amazonas e do Mato Grosso.

O assistente de fiscalização da Unidade da Adapar de Capitão Leônidas Marques, Alex Alves, fala sobre a publicação da portaria Nº 52, do Ministério da Agricultura, que reconhece o Paraná Livre, sem vacinação.

“Esse reconhecimento de área livre de aftosa, ele agrega valor ao produto com a exportação da carne bovina e favorece também produtores de suínos de Capitão e região, para alcançar mercados, fora do país”, destacou.

Alex, também lembra, que “no Paraná, foi suspensa a vacina contra a aftosa e que continua a declaração de rebanho”, alerta, Alex Alves.

Nesse ano, devido a pandemia os produtores podem fazer a declaração até 30 de novembro.

Os pecuaristas que não cumprirem o com prazo estarão sujeitos a multa e podem ter a Guia de Trânsito Animal (GTA) bloqueada.

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Rádio SAN FM, não reflete a opinião deste Portal.